Facebook - OPAN Google+ - OPAN Twitter - OPAN Youtube - OPAN

Notcias

SELECT m.*, IF(LENGTH(fotos)<15 AND galeria=1,(SELECT id FROM w186_post_fotos WHERE post=m.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1),fotos) AS fotoprinc FROM w186_post AS m WHERE m.id=581 - 581

Um encontro entre culturas

Evento indgena promoveu o compartilhamento de cultura entre etnias do Mato Grosso. Integrao entre povos fortalece sua luta.

Terra Indígena Irantxe, Brasnorte (MT) - Uma aldeia, três terras indígenas, cinco povos e mais de 200 indígenas reunidos, celebrando a diversidade e semelhanças da cultura indígena do noroeste de Mato Grosso. Durante quatro dias a aldeia Cravari, na Terra Indígena (TI) Manoki, foi um espaço de interação sociocultural entre os povos Myky (da TI Menkü), Manoki (TI Manoki), Sabanê, Tawandê e Manduca (TI Pirineus de Souza). Um encontro marcado pela participação de crianças, jovens, professores, lideranças e anciãos, que promoveu o intercâmbio de fazeres e saberes tradicionais que se refletiram em um mosaico de cores, cantos, danças, histórias e artesanatos.

irani-capa.jpg

Irani Tawandê iniciou a contação de histórias sobre as origens de seu povo. Foto: Giovanny Vera/OPAN

O evento marcou a conclusão de um ciclo de formação em gestão territorial e política junto a estas populações, iniciado em 2016 pelo projeto IREHI: Cuidando dos territórios, desenvolvido pela OPAN e financiado pelo Fundo Amazônia. Um dos objetivos do projeto foi atender a demanda por formação juvenil expressada por esses povos em seus Planos de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas (PGTA), propósito atendido com o ciclo de formação que fortaleceu as trocas culturais intergeracionais e o protagonismo de jovens em suas comunidades.

O encontro contou com a participação de anciãos das três terras indígenas que realizaram ‘contações de histórias’, em que relataram o surgimento de cada povo, bem como suas tradições e costumes. Essa dinâmica proporcionou aos participantes trocas culturais intensas, nas quais encontraram, por exemplo, coincidências cosmológicas, fortalecendo sua identidade como povos originários. E essas relações interculturais se confirmam mediante seus meios de produção, reprodução da vida e com o vínculo que mantém com seus territórios, seja o Cerrado ou a floresta.

ensinando-flecha.jpg 

Jovens das etnias participantes aprenderam a fazer flechas e artesanatos com anciãos. Foto: Giovanny Vera/OPAN

Os anciãos também foram os protagonistas durante as tardes de oficinas de confecção de artesanatos, onde ensinaram aos mais jovens as técnicas de cada etnia na criação de artefatos e arte, como redes, arcos e flechas, cestos, colares, brincos, cocares, tiaras, saias de buriti, chocalhos, pintura corporais tradicionais, língua materna e calendário tradicional. 

Irani Tawandê, da TI Pirineus de Souza, por exemplo, é um reconhecido contador de histórias que fez os participantes conhecerem sobre as origens e mitos de seu povo. “Eu vim aqui para falar do que somos, de onde viemos. Este é o nosso trabalho: incentivar os nossos jovens a amar nossa tradição”, disse ele, destacando a alegria de ver os povos unidos, mostrando cada um sua cultura e encontrando semelhanças entre elas.

Por sua vez, Rosinês Kamunu, da TI Manoki, ficou orgulhosa de ver a participação dos jovens Manoki interessados em conhecer e aprimorar sua cultura, porque de acordo com ela, essa prática “nos ajuda a se sentir mais orgulhosos de ser indígena e a lutar”, ainda mais nestes tempos tão difíceis para eles, afirmou. 

 cristianok.jpg

Jovem youtuber Xavante motivou os jovens participantes no uso de mídias digitais para divulgar a cultura indígena. Foto: Giovanny Vera/OPAN

Um  momento que também chamou a atenção dos jovens foi a participação de Cristian Wariu, um jovem youtuber da etnia Xavante que em seu canal aborda a diversidade da cultura indígena, desmistificando preconceitos sobre os povos indígenas no Brasil. Na roda de conversa, Cristian reforçou a necessidade dos indígenas usarem a comunicação digital e as redes sociais para se expressarem e para apresentarem suas culturas e suas tradições. “Nós já estamos registrando tudo na nossa aldeia, mas ainda precisamos publicar mais, nos mostrar mais”, disse Typju Myky, concordando com Cristian na importância de apresentar a cultura indígena fora de seus territórios.

A educação indígena foi tratada durante o evento, quando os professores indígenas apresentaram seus projetos etnoeducacionais desenvolvidos em suas escolas e nas universidades. Os projetos reforçaram a importância da educação indígena diferenciada, em meio às demandas indígenas por aquisição de novos conhecimentos e de convívio entre as sociedades indígenas e não indígenas.

 tres-fotos.jpg

O encontro promoveu o intercâmbio de saberes tradicionais entre os povos, comemorado no último dia com danças e apresentação de artesanatos feitos durante o evento. Foto: Giovanny Vera/OPAN

O evento foi encerrado com uma grande festa cultural, com danças e exposição dos artesanatos e artefatos confeccionados durante as oficinas. Todos os povos presentes partilharam a alegria de se encontrarem e fortalecerem suas culturas e conhecimentos, reafirmando sua aposta nos jovens, suas lideranças do presente e do futuro. 

 

Contato com a imprensa

Giovanny Vera
gio@amazonianativa.org.br
(65) 3322-2980

Matrias relacionadas

15/12/2018
O avano da COP24 foi indgena
12/12/2018
OPAN recebe prmio em MT
03/12/2018
II Congresso de Lnguas Indgenas
06/08/2018
Consultoria para coordenao e facilitaao grfica de oficina
21/10/2016
Nota de repdio da FEPOIMT
04/11/2015
Fortalecendo a cultura Nambikwara
25/09/2015
Uma coisa puxa a outra
22/08/2015
Lbrea sedia debate sobre gesto territorial
03/08/2015
Territrio feminino
06/07/2015
Omisso lesiva
SELECT id, titulo, data, horario, fotos, post_sub_id AS post_sub_id, chamada, i_cadastro, arquivado FROM w186_post WHERE (i_publicacao<=NOW() OR i_publicacao=0) AND (i_expiracao>=NOW() OR i_expiracao=0) AND id!='581' AND post_sub_id=2 AND aprovado!=0 ORDER BY i_cadastro DESC LIMIT 0, 8
15/12/18 - O avano da COP24 foi indgena
Pases reconhecem importncia do conhecimento tradicional e da participao indgena nas discusses sobre mudanas climticas.
12/12/18 - OPAN recebe prmio em MT
Prmio um reconhecimento do estado de Mato Grosso instituies que cumprem ou cumpriram relevantes servios em prol dos Direitos Humanos.
03/12/18 - II Congresso de Lnguas Indgenas
33 povos dos 43 existentes em Mato Grosso discutem polticas para o ensino de seus idiomas nativos
12/11/18 - V Festival Juruena Vivo
Uma proposta de intercmbio produtivo e cultural no noroeste de Mato Grosso
09/11/18 - A maior pesca Paumari
Com o manejo consolidado, povo Paumari do rio Tapau pesca 30 toneladas de pirarucu.
26/10/18 - Licena para agredir
O ttulo inapropriado de uma reportagem foi o estopim para reaes ofensivas na internet contra indgenas do norte de Mato Grosso.
22/10/18 - Povo Paresi valida seu plano de gesto
PGTA apresenta pactuaes das nove terras dos Haliti Paresi.
22/10/18 - Expedio Rikbaktsa
Atividade complementa o etnomapeamento da Terra Indgena Erikpatsa, na construo do PGTA.
Todos os direitos reservados para a Operação Amazônia Nativa - OPAN
Website Security Test