Facebook - OPAN Google+ - OPAN Twitter - OPAN Youtube - OPAN

Notcias

SELECT m.*, IF(LENGTH(fotos)<15 AND galeria=1,(SELECT id FROM w186_post_fotos WHERE post=m.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1),fotos) AS fotoprinc FROM w186_post AS m WHERE m.id=510 - 510

Mobilizao nacional indgena d seu recado

Por: Dafne Spolti/OPAN.
Discurso de Kret Kaingang fala de violaes a direitos indgenas.

Kret Kaingang. Foto: Dafne Spolti/OPAN.

“Vocês têm a Constituição toda pra vocês. Nós só temos dois artigos e somos capazes de dar nossas vidas por eles”, disse o Kretã Kaingang, referindo-se aos artigos 231 e 232 da Constituição Federal, em audiência realizada na Comissão de Direitos Humanos do Senado, uma das primeiras atividades do Acampamento Terra Livre 2018, maior mobilização indígena do país. A fala dá o tom do momento pelo qual passam os povos indígenas hoje, com as ameaças constantes que vêm sofrendo a cada dia, principalmente ao direito à terra.

Kretã destacou diretamente o racismo de uma classe dominante como responsável por esse cenário, ainda mais expressivo na região em que vive, o Rio Grande do Sul. “O deputado que fez discurso de que índio, gay, lésbica, quilombola é tudo o que não presta na sociedade foi o mais votado no Rio Grande do Sul”, enfatizou, sem deixar de mencionar falas preconceituosas de outros poderes, inclusive no Supremo Tribunal Federal (STF).

“O racismo hoje é institucionalizado”, afirmou, chamando atenção para a disseminação do preconceito e suas graves consequências. Ele lembrou de três casos de violência extrema cometida contra indígenas nos últimos três anos, todos considerados crimes comuns: a violência contra a mãe da cacique guarani, Kerexú, que teve uma mão amputada, em 2017; o assassinato do professor indígena Marcondes Namblá, espancado com um pedaço de madeira; a morte do bebê indígena de três anos, Vítor Kaigang, em 2015.

Kretã Kaingang chamou a todos para lutarem por suas terras, pela defesa de um Estado pluriétnico, formado por tantas nações indígenas. Falou que não devem aceitar reintegrações de posse em seu desfavor e que, se unidos, vão conseguir defender suas terras, não importa contra quem. “Ou é essa divisão, do agronegócio, ou é nós, do Estado pluriétnico”, concluiu, marcando a oposição que percebe entre a classe empresarial dominante e os povos tradicionais.

Contato com a imprensa

Dafne Spolti

(65) 3322-2980 / 9 9223-2494

dafne@amazonianativa.org.br

 

Matrias relacionadas

06/08/2015
Um prato sem agrotxicos, por favor
20/02/2015
Dois anos e grandes desafios
12/04/2018
Conferncia com Sebastio Pinheiro no INPA
03/08/2017
Nossa histria no comea em 1988!
SELECT id, titulo, data, horario, fotos, post_sub2_id AS post_sub_id, chamada, i_cadastro, arquivado FROM w186_post WHERE (i_publicacao<=NOW() OR i_publicacao=0) AND (i_expiracao>=NOW() OR i_expiracao=0) AND id!='510' AND post_sub2_id=2 AND aprovado!=0 ORDER BY i_cadastro DESC LIMIT 8, 8
22/05/18 - Lanando luz sobre o manejo
Comunitrios, pesquisadores e organizaes se renem para apresentao de diagnstico sobre o manejo sustentvel de pirarucu no Amazonas.
27/04/18 - Pela descolonizao do Brasil
Povos indgenas decidem fazer plataforma poltica unificada em prol da sociedade e contra o agronegcio.
26/04/18 - Retomando direitos
Indgenas reunidos no Acampamento Terra Livre exigem revogao do parecer 001/AGU, do marco temporal, pela garantia do direito terra.
24/04/18 - Acelerando de marcha r
Em audincia no ATL, indgenas, advogados e antroplogos avaliam retrocessos da poltica indigenista.
19/04/18 - Dia do ndio
12/04/18 - Conferncia com Sebastio Pinheiro no INPA
Evento aborda vantagens da agricultura camponesa frente ao modelo do agronegcio.
02/04/18 - Banho de veneno sobre terra indgena
Avio dispersa agrotxicos dentro da Terra Indgena Mariwatsd.
07/11/17 - Expanso do manejo Paumari
Pesca de pirarucu realizada em intercmbio de povos do Amazonas e do Acre.
Todos os direitos reservados para a Operação Amazônia Nativa - OPAN
Website Security Test