11 de junho de 2010

Nos dias 4 a 7 de junho aconteceu um grande encontro de rezadores e lideranças Guarani organizado pelo UNIOESTE/SETI em parceria com a OPAN. O encontro reuniu doze aldeias indígenas Guarani do Oeste do Paraná, com seus caciques e líderes religiosos. O evento ocorreu na comunidade indígena Guarani de Yv’a Renda Poty localizada no município de Santa […]

Nos dias 4 a 7 de junho aconteceu um grande encontro de rezadores e lideranças Guarani organizado pelo UNIOESTE/SETI em parceria com a OPAN. O encontro reuniu doze aldeias indígenas Guarani do Oeste do Paraná, com seus caciques e líderes religiosos. O evento ocorreu na comunidade indígena Guarani de Yv’a Renda Poty localizada no município de Santa Helena e teve como discussão central o direito ao acesso a terras tradicionais indígenas, até por que esta comunidade se encontra em uma área tradicional ainda não reconhecida pela FUNAI. Ao todo participaram cerca de 45 lideranças indígenas de diversas aldeias e localidades do região do oeste e centro oeste do Paraná. Ao final do encontro as lideranças Guarani elegeram uma Comissão de Terras do Oeste e Centro-Oeste do Paraná com o objetivo de cobrar e pressionar a criação de GT’s nas áreas tradicionais de Yv’a Renda Ptoy e Tekoa Rio Azul, além da conclusão dos GT’s das áreas de Araguaju, MangaratuTekoa Porã. O encontro contou com presença de diversas autoridades como representantes da FUNAI, da FUNASA, da Coordenação Estadual da Educação Indígena do Paraná, a Secretaria da Diversidade do Estado, assim como representantes de sindicatos e movimentos sociais. A recém-criada Comissão entregou as autoridades documento reivindicando acesso a terra, saúde e direito a educação escolar diferenciada. E, como toda reunião Guarani a discussão foi marcada pela religiosidade e pelo uso quase exclusivo da língua materna, com a participação de vários rezadores e rezadoras. A reunião contou com a presença do Guarani Maurício Gonçalves, membro da Yvy Rupa Nacional, na coordenação do evento, nas palavras de Maurício “Já está na hora dos Guarani serem menos passivos e cobrarem com mais energia a demarcação de suas terras no Paraná”. Teodoro Tupã, eleito coordenador da recém-criada Comissão de Terras Guarani do Oeste e Centro-Oeste do Paraná, também afirmou que “os Guarani no Paraná são um povo sem-terra, vivemos em minúsculas reservas, cercados de cercas e pela soja, está terra é toda nossa, e precisamos recuperá-la para a continuidade da nossa cultura e para deixá-la de herança para nossos filhos”.

O próximo encontro está marcado para meados de setembro no Tekoa de Marangatu localizado no município de Guaira.

Atualmente o oeste do Paraná possui cinco Tekoas Guarani que lutam pelo seu reconhecimento pelo estado e o acesso á políticas públicas.

PRIMEIRO ENCONTRO DE LIDERANÇAS GUARANI

DO OESTE E CENTRO-OESTE DO PARANÁ

  [Documento]

Nós Povo Guarani do Oeste e Centro-Oeste do Paraná, estivemos reunidos nos dias 4 a 7 de Junho de 2010, no Tekohá Vy`a Renda Poty, no município de Santa Helena. Presenciaram ao evento os caciques, lideranças, Xamõi e Xaryi Kuery dos Tekohá Vyá Rendá Poty – Santa Helena; Aldeia Estiva – RS; Aldeia Ocoi, – São Miguel do Iguaçu; Tekohá Palmital do Meio – União da Vitória; Tekohá Y’Hovy – Guaíra; Tekohá Araguajú – Terra Roxa; Tekohá Marangatú – Guaíra; Tekohá Nhemboeté – Terra Roxa; Tekohá Porá – Guaíra; Aldeia Itamarã – Diamante do Oeste; Tekohá Anhetete – Diamante do Oeste; Aldeia Lebre (Tapixi) – Nova Laranjeiras, Pinhal – Espigão alto do Iguaçu para tratar dos principais problemas que atingem o Povo Guarani: Terra, Saúde, Educação diferenciada e específica, auto-sustentação nos Tekohá.

Apresentamos as principais reivindicações das Comunidades Guarani:

1 – Direito à Terra

Exigimos da FUNAI a criação de GT para identificar e delimitar as Terras indígenas das Comunidades Tekohá Vyá Renda Poty, município de Santa Helena, Tekohá  Y’Hory, município de Guaíra, Tekohá Nhemboeté, Terra Roxa.

Exigimos da FUNAI a conclusão do GT das Terras Indígenas Tekohá Porá e Tekohá Marangatu, município de Guaíra, Tekohá Araguajú, município de Terra Xoxa e Tekohá Palmital do Meio, município de União da Vitória.

2 – Direito á Saúde

Os Tekohá dos municípios de Santa Helena, Guaíra e Terra Roxa exigem da FUNASA a construção de Postos de saúde em cada área indígena, equipe médica, agente de saúde indígena, saneamento básico – água potável, módulos sanitários e energia elétrica -, transporte a serviço dos Tekohá, contratação de motorista indígena.

3 – Direito à Educação Diferenciada e Específica

Exigimos da Secretaria do Estado de Educação a construção de escolas, contratação de professores indígenas e acesso à educação diferenciada prevista em lei.

Considerando a situação dramática vivenciada por todas as comunidades, principalmente os acampamentos de Guaíra, Terra Roxa e Santa Helena, cobramos da FUNAI a URGENTE entrega mensal de cestas básicas.

Os caciques, lideranças, Xamõi e Xaryi Kuery dos Tekohá que presenciaram ao evento criaram a Organização que representa todos os nossos Tekohá: COMISSÃO DE TERRA GUARANI DAS REGIÕES OESTE E CENTRO-OESTE DO PARANÁ.

Diante dos problemas discutidos durante o encontro, nós Guarani reafirmamos a URGÊNCIA da demarcação das nossas terras tradicionais.

Precisamos de terra para plantar, cultivar, nos alimentar e poder sustentar nossas comunidades, nossas famílias e para que possamos criar nossos filhos, garantindo assim um presente digno e um futuro melhor para todos os Guarani.

Tekohá Vy`a Renda Poty

7 de Junho de 2010

 

Contatos com a imprensa
comunicacao@amazonianativa.org.br
(65) 3322-2980

Indígenas da bacia do Juruena participam de festival de cinema em Brasília

02 Dez, 2022

Foram selecionadas duas produções audiovisuais do Coletivo Ijã Mytyli de Cinema Manoki e Myky e uma do povo Enawenê-Nawê

Flores, lágrimas e força

28 Nov, 2022

Países insulares seguem sendo grandes propulsores de avanços no debate sobre clima no mundo. Povos indígenas exigem participação em fundo sobre perdas e danos.

A PNGATI e a esperança por dias melhores

09 Nov, 2022

De diversas regiões da Amazônia, representantes indígenas compartilham na COP27 reflexões e experiências sobre a PNGATI à luz do novo governo no Brasil.
Nossos Parceiros
Ver Mais