02 de março de 2011

Por: Comunicação OPAN Cuiabá-MT Começam neste mês de março as primeiras atividades do Projeto Berço das Águas, que pretende fomentar a elaboração de planos de gestão ambiental nas Terras Indígenas Enawene Nawe, Myky e Manoki, no noroeste de Mato Grosso. As três áreas somam aproximadamente um milhão de hectares, estão localizadas em ambientes de transição entre […]

Por: Comunicação OPAN

Cuiabá-MT Começam neste mês de março as primeiras atividades do Projeto Berço das Águas, que pretende fomentar a elaboração de planos de gestão ambiental nas Terras Indígenas Enawene Nawe, Myky e Manoki, no noroeste de Mato Grosso. As três áreas somam aproximadamente um milhão de hectares, estão localizadas em ambientes de transição entre Cerrado e Amazônia e se encontram cercadas por latifúndios sojicultores, pecuaristas, além de empreendimentos madeireiros e hidrelétricos. Um dos objetivos do projeto é gerar renda para os indígenas a partir do manejo tradicional de produtos como a borracha natural, a castanha-do-brasil e outros frutos do Cerrado, criando oportunidades para a construção de modelos de gestão territorial desvinculados do desmatamento.

A OPAN – Operação Amazônia Nativa, há mais de 30 anos na região noroeste de Mato Grosso, é a executora do Projeto Berço das Águas e conta com o patrocínio da Petrobras, através do Programa Petrobras Ambiental. “Esta iniciativa propõe uma nova lógica no contexto dos territórios limitados, cercados por pressões de desmatamento e com desafios internos como o aumento populacional”, explica Juliana Almeida, indigenista da OPAN e coordenadora do projeto. As ações de valorização dos ecossistemas e dos povos indígenas podem se tornar garantias concretas de sustentabilidade para cerca de mil indígenas.

Outros povos de Mato Grosso já deram início, com diferentes metodologias, à gestão ambiental de seus territórios, como os Suruí, os Zoró, os Rikbaktza, além de vários do Xingu. Agora, inspirados pelas experiências de dentro e fora do estado, representantes dos povos Enawene Nawe, Myky e Manoki passarão por capacitações para agregação de valor dos produtos do Cerrado e da Amazônia e terão a oportunidade de fazer intercâmbios em gestão territorial em outras terras indígenas.

Após a fase de diagnóstico e análise da viabilidade econômica de produtos não madeireiros, os índios terão condições de implementar infraestrutura para produção e comercialização, além de formação para gestão de projetos sustentáveis a fim de que seus produtos atendam às normas de vigilância sanitária e do mercado. Parcerias com empresas interessadas em comprar a produção indígena e de órgãos públicos que poderão dar suporte às ações são condições essenciais para a sustentabilidade da iniciativa. “Estamos começando a costurar as parcerias, mas o mais importante é que os próprios índios escolham como trabalhar e com quem. Os planos de gestão ambiental são, sobretudo, participativos. São os índios que vão dizer como querem gerir seu território”, ressalta Juliana, da OPAN.

Berço das Águas: colhendo riqueza nas terras indígenas do Mato Grosso

O quê: Projeto para elaborar planos de gestão ambiental em 3 terras indígenas do Noroeste de MT e fomentar cadeias produtivas de frutos nativos do Cerrado e da Amazônia para fins de geração de renda e sustentabilidade ambiental dos territórios.

Para quê: Apoiar a gestão ambiental e melhoria das condições de vida dos povos Enawene Nawe, Manoki e Myky

Quando: 2011-2012

Quem: Operação Amazônia Nativa (OPAN), com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental

Onde: Terras Indígenas Enawene Nawe, Myky e Manoki, nos municípios de Sapezal, Comodoro, Juína e Brasnorte (MT)

OPAN

A OPAN foi a primeira organização indigenista fundada no Brasil, em 1969. Atualmente suas equipes trabalham em parceria com povos indígenas do Amazonas e do Mato Grosso, desenvolvendo ações voltadas à garantia dos direitos dos povos, gestão territorial e busca de alternativas de geração de renda baseadas na conservação ambiental e na manutenção das culturas indígenas.

Contatos com imprensa

Andreia Fanzeres: +55 65 33222980 / 81115748

Email: comunicacao@amazonianativa.org.br

OPAN – Operação Amazônia Nativa

http://www.amazonianativa.org.br

 

Em decisão histórica, STF reconhece direito territorial dos povos indígenas do Parque Aripuanã

17 Jan, 2022

Na decisão a Corte ainda condenou o estado mato-grossense a arcar com despesas do processo. O voto destaca a presença tradicional e histórica dos indígenas na região

Indígenas do povo Kanela sofrem com enchentes e pedem doações de alimentos e água potável

11 Jan, 2022

Os alagamentos vêm prejudicando a produção de alimentos de cerca de 189 pessoas da aldeia Nova Pukanū, localizada na região Araguaia, em Mato Grosso. No local não há água potável e as casas correm o risco de sofrerem novas inundações. Saiba como ajudar os indígenas atingidos por enchentes

Manejo de pirarucu e proteção de Terras Indígenas são destaque no Rio Gastronomia

22 Dez, 2021

Lideranças Deni e Paumari compartilharam suas experiências com os participantes do evento, que provaram diferentes pratos com o pirarucu pescado pelas comunidades
Nossos Parceiros
Ver Mais