17 de dezembro de 2011

Chapada dos Guimarães, MT – Vinte e cinco indígenas das etnias Manoki, Myky, Kayabi e Xavante de Marãiwatsédé participaram da primeira etapa do curso de gestores indígenas promovido pela OPAN entre os dias 10 e 12 de dezembro. A capacitação visa o fortalecimento do protagonismo indígena. Representantes das associações Bö’u (Xavante de Marãiwatsédé), Kawaip Kayabi (Kayabi do […]

Chapada dos Guimarães, MT – Vinte e cinco indígenas das etnias Manoki, Myky, Kayabi e Xavante de Marãiwatsédé participaram da primeira etapa do curso de gestores indígenas promovido pela OPAN entre os dias 10 e 12 de dezembro. A capacitação visa o fortalecimento do protagonismo indígena. Representantes das associações Bö’u (Xavante de Marãiwatsédé), Kawaip Kayabi (Kayabi do Pará), Waypjatapja Mananukje‘y (Myky) e Watoholi (Manoki) conheceram ferramentas de elaboração de projetos visando a captação de recursos para desenvolverem ações junto à sua comunidade e o entorno.

Os indigenistas que ministraram as aulas optaram por trabalhar com exemplos do cotidiano das aldeias e exercícios práticos, o que facilitou o envolvimento dos indígenas com o tema. Uma das propostas foi introduzir o conhecimento sobre métodos de diagnóstico rápido participativo, elaboração de projetos, análise de editais e formulários (matriz lógica, orçamento e cronogramas).

Os indígenas foram convidados a refletir sobre os papéis de uma associação, a importância do diálogo entre a organização formal e a não informal na comunidade, a capacidade administrativa e gerencial, entre outros assuntos. A partir disso, eles próprios identificaram necessidades em suas áreas e exercitaram sua capacidade de propor o objetivo geral do projeto, assim como seus objetivos específicos, resultados, atividades, indicadores e meios de verificação.

“A idéia das próximas etapas é capacitar os indígenas no decorrer dos pequenos projetos sugeridos por eles e aprovados pela OPAN. Eles vão executar em tempo real suas próprias iniciativas e a formação se dará através das aulas presenciais e orientação da equipe de campo”, explica Rochele Fiorini, indigenista e administradora da OPAN.

Estão previstas mais duas etapas do curso ao longo de 2012 para aprimoramento do tema de gestão administrativa e financeira, de acordo com as exigências do edital.

OPAN

A OPAN foi a primeira organização indigenista fundada no Brasil, em 1969. Atualmente suas equipes trabalham em parceria com povos indígenas do Amazonas e do Mato Grosso, desenvolvendo ações voltadas à garantia dos direitos dos povos, gestão territorial e busca de alternativas de geração de renda baseadas na conservação ambiental e no fortalecimento das culturas indígenas.

Contatos com imprensa

Andreia Fanzeres: +55 65 33222980 / 84765620

Email: comunicacao@amazonianativa.org.br

OPAN – Operação Amazônia Nativa

http://www.amazonianativa.org.br

Indígenas da bacia do Juruena participam de festival de cinema em Brasília

02 Dez, 2022

Foram selecionadas duas produções audiovisuais do Coletivo Ijã Mytyli de Cinema Manoki e Myky e uma do povo Enawenê-Nawê

Flores, lágrimas e força

28 Nov, 2022

Países insulares seguem sendo grandes propulsores de avanços no debate sobre clima no mundo. Povos indígenas exigem participação em fundo sobre perdas e danos.

A PNGATI e a esperança por dias melhores

09 Nov, 2022

De diversas regiões da Amazônia, representantes indígenas compartilham na COP27 reflexões e experiências sobre a PNGATI à luz do novo governo no Brasil.
Nossos Parceiros
Ver Mais