30 de junho de 2013

Os Rikbaktsa, ocupantes imemoriais do Vale do Rio Juruena, enfrentaram nos últimos 50 anos o desafio de reinventar a sua própria existência mediante um contexto de conflitos, epidemias e deslocamento geográfico forçado, que resultou em decréscimo populacional e perdas territoriais. A chegada das frentes colonizadoras ao médio e baixo curso do Vale do rio Juruena […]

Os Rikbaktsa, ocupantes imemoriais do Vale do Rio Juruena, enfrentaram nos últimos 50 anos o desafio de reinventar a sua própria existência mediante um contexto de conflitos, epidemias e deslocamento geográfico forçado, que resultou em decréscimo populacional e perdas territoriais.

A chegada das frentes colonizadoras ao médio e baixo curso do Vale do rio Juruena e a “pacificação” realizada pela Missão Jesuíta, forçaram um processo de territorialização que, após circunstâncias de alteração acelerada da paisagem regional, culminou na delimitação de três terras indígenas reservadas para a ocupação por este povo. Longe de alcançar a amplitude geográfica do território de ocupação tradicional, as três áreas resguardaram apenas uma parcela deste.

Neste artigo, o contexto de reconfiguração do território Rikbaktsa é discutido, destacando-se o processo de regularização de uma das três terras indígenas demarcadas, a saber, a Terra Indígena Escondido; analisando os fatores que determinaram do ponto de vista dos indígenas, estratégias e prioridades estabelecidas no processo de reivindicação da demarcação.

Da análise da re-existência Rikbaktsa conclui-se que a articulação entre os jovens transferidos para o internato religioso – que passam a retornar para o território Rikbaktsa a partir de um processo de reorientação da atuação missionária – e os adultos e idosos transferidos para os postos de atendimento da missão jesuíta, bem como a articulação dos conhecimentos tradicionais aos novos conhecimentos; foi elemento central dentro da dinâmica de reivindicação pelo reconhecimento jurídico de parte do território imemorial como terra indígena.

Guia Socioambiental da Imprensa: informação a serviço da democracia

19 Out, 2021

Material reúne dados, reflexões, tira-dúvidas e um guia de fontes para apoiar comunicadores na produção de conteúdos relacionados aos povos tradicionais e assuntos socioambientais

Guia de Fontes

13 Out, 2021

O objetivo desse pequeno Guia de Fontes é reunir indicações confiáveis de instituições e porta-vozes que podem fornecer informações seguras, fidedignas e de qualidade sobre os povos indígenas.

Discussão amarga, mas necessária

13 Out, 2021

Tema do 3º encontro do curso sobre mudanças climáticas, regulamentação do mercado de carbono na COP26 enseja preocupação quanto à garantia de respeito aos direitos indígenas
Nossos Parceiros
Ver Mais