09 de setembro de 2014

Por: Coordenação Geral/OPAN Morreu no último sábado (06) o padre Balduino Loebens, enquanto navegava pelo rio Juruena, para pernoitar, como costumeiramente, em uma aldeia do povo Rikbaktsa. O corpo foi encontrado no final da tarde desta segunda-feira (08), há alguns quilometros do seu barco, que estava encalhado no rio. O catarinense, nascido em Itapiringa em […]

Por: Coordenação Geral/OPAN

Morreu no último sábado (06) o padre Balduino Loebens, enquanto navegava pelo rio Juruena, para pernoitar, como costumeiramente, em uma aldeia do povo Rikbaktsa. O corpo foi encontrado no final da tarde desta segunda-feira (08), há alguns quilometros do seu barco, que estava encalhado no rio.

O catarinense, nascido em Itapiringa em 13 de março de 1941, dedicava a sua vida a causa indígena desde 1960. Foram quase cinco décadas de vida compartilhada com os povos indígenas, especialmente com os Rikbaktsa.

Um grupo de Enawenê Nawê, que está em Cuiabá, habitantes do Juruena, também lembram que Balduino era amigo do jesuíta Vicente Cañas, que os Enawenê chamavam de Kiwxi, assassinado em 1987 por defender os direitos dos índios à sua terra, constantemente invadida por madeireiros e latifundiários; e por isso ficaram muito tristes com a morte do amigo.

A OPAN se solidariza com os amigos, parentes, jesuítas e indígenas, pela perda prematura de alguém que não mediu esforços para garantir direitos e dignidade as pessoas humanas.

O corpo do padre Balduino está sendo velado na Catedral Sagrado Coração de Jesus, em Juína. Às 14 horas os Rikbaktsa vão fazer um ritual em homenagem ao amigo e às 16 horas o corpo do jesuíta deve ser sepultado.

 

 

Pe. Balduino Loebens

*13/03/1941

+06/09/2014

 

Contatos com a imprensa
comunicacao@amazonianativa.org.br
(65) 3322-2980

Entenda em seis pontos as diretrizes do CNJ para os povos indígenas no acesso ao Judiciário

06 Mai, 2022

O ato recomendatório traz procedimentos para garantir o pleno exercício dos direitos dos povos indígenas na Justiça. Saiba o que pode ser exigido em um processo judicial quando há pessoas e povos originários envolvidos.

Estela Ceregatti homenageia cacica xavante em novo álbum

28 Abr, 2022

Carolina Rewaptu é a primeira cacica Xavante de Mato Grosso e faz parte do grupo de mulheres que coletam sementes nativas para o reflorestamento de áreas desmatadas.

Garimpo ilegal vitimou mais de 100 indígenas Yanomami em 2021 

26 Abr, 2022

Exploração sexual, fome, contaminação e destruição ambiental são as principais causas de mortes. Este é considerado o pior momento de invasão desde a demarcação do território.
Nossos Parceiros
Ver Mais