21 de janeiro de 2016

Há muito tempo nossas comunidades vêm enfrentando dificuldades para adaptar-se às novas condições de vida com os territórios demarcados. Hoje, nossos territórios são limitados e estão sendo intensamente modificados em suas fronteiras em consequência do modelo de ocupação do entorno. Portanto, este plano de gestão começa a fazer sentido quando pensamos como será a vida […]

Há muito tempo nossas comunidades vêm enfrentando dificuldades para adaptar-se às novas condições de vida com os territórios demarcados. Hoje, nossos territórios são limitados e estão sendo intensamente modificados em suas fronteiras em consequência do modelo de ocupação do entorno. Portanto, este plano de gestão começa a fazer sentido quando pensamos como será a vida das nossas futuras gerações.

Nós, povos indígenas da Terra Indígena Tirecatinga, do município de Sapezal, em Mato Grosso, nos unimos para construir este primeiro Plano de Gestão Territorial e Ambiental para os próximos anos. Queremos, deste modo, nos apresentar para a sociedade brasileira e mato-grossense para que, ao nos conhecer, possamos diminuir os preconceitos existentes, firmar novas parcerias e consolidar as que já temos.

Para mantermos vivos os nossos conhecimentos e modos de vida é necessário garantir a sustentabilidade de nossas famílias. Nossa educação sempre se baseou no “aprender fazendo” e, portanto, nossos mestres sempre foram os mais velhos e os pajés. É de fundamental importância preservar e registrar esses conhecimentos para as próximas gerações. Os projetos a serem elaborados conosco no futuro devem prever a formação das pessoas que aqui vivem, visando garantir a nossa autonomia. Enfatizamos que nosso objetivo é fortalecer o nosso protagonismo diante das escolhas por quais caminhos resolveremos seguir.

Isto se torna cada vez mais importante no contexto das grandes obras e empreendimentos que já nos cercam e que, no futuro, podem se intensificar ainda mais os impactos ambientais, sociais e econômicos ameaçam as condições de vida dos povos originários desta terra. Os grandes projetos que pensam somente a sustentabilidade da sociedade não indígena não servem para nós.

Para conseguirmos continuar cuidando deste patrimônio ambiental que está sob nossa responsabilidade, mas que é de vital importância para toda a humanidade, precisamos nos fortalecer politicamente. Todos os parceiros que tiverem esta preocupação serão bem-vindos em nossas comunidades e estamos preparados para somarmos esforços com eles.

Entendemos que cuidar do nosso território e de seu entorno (principalmente das nascentes) é cuidar do nosso povo, é garantir nossa existência e é assegurar a saúde de todos os povos, indígenas e não indígenas, que aqui convivem conosco.

Indígenas da bacia do Juruena participam de festival de cinema em Brasília

02 Dez, 2022

Foram selecionadas duas produções audiovisuais do Coletivo Ijã Mytyli de Cinema Manoki e Myky e uma do povo Enawenê-Nawê

Flores, lágrimas e força

28 Nov, 2022

Países insulares seguem sendo grandes propulsores de avanços no debate sobre clima no mundo. Povos indígenas exigem participação em fundo sobre perdas e danos.

A PNGATI e a esperança por dias melhores

09 Nov, 2022

De diversas regiões da Amazônia, representantes indígenas compartilham na COP27 reflexões e experiências sobre a PNGATI à luz do novo governo no Brasil.
Nossos Parceiros
Ver Mais