15 de março de 2016

Por: Mel Mendes/OPAN Cuiabá (MT) – Nesta semana, representantes do povo Manoki vão se reunir com a relatora da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre direitos indígenas, Victoria Tauli-Corpuz, em Brasília. O encontro acontecerá durante a agenda da relatora com a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), na próxima quarta-feira, dia 16 de março, quando os […]

Por: Mel Mendes/OPAN

Cuiabá (MT) – Nesta semana, representantes do povo Manoki vão se reunir com a relatora da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre direitos indígenas, Victoria Tauli-Corpuz, em Brasília. O encontro acontecerá durante a agenda da relatora com a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), na próxima quarta-feira, dia 16 de março, quando os Manoki farão a entrega de um dossiê com dados sobre violações de direitos e ataques ao seu território tradicional, no norte de Mato Grosso, em decorrência da intensificação das invasões de fazendeiros e madeireiros.

Sobre a denúncia

De acordo com dados oficiais, mais de 20% da vegetação nos 206 mil hectares da Terra Indígena (TI) Manoki já foram destruídos por fazendeiros que seguem realizando corte raso para cultivar arroz e soja no interior da terra indígena. Além disso, foram identificados loteamentos, uma serraria em pleno funcionamento e centenas de quilômetros de estradas ilegais para furto de madeira que formam uma enorme “espinha de peixe” e podem ser vistos claramente através de imagens de satélite.

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA) de Mato Grosso registrou 54 inscrições de Cadastro Ambiental Rural (CAR) dentro da TI Manoki, mas avisou que nenhuma será validada. Tratam-se de fazendas ilegais com a intenção  de se regularizar dentro de um território indígena declarado e demarcado, que aguarda desde 2011 a finalização do processo de homologação.

Apesar das recorrentes denúncias feitas pelos indígenas, pouco tem sido feito para frear as agressões aos direitos e ao território Manoki, que seguem lutando pela homologação, desintrusão e ao direito de indenização àqueles ocupantes de boa-fé, devidamente identificados durante o processo administrativo de reconhecimento da terra indígena. Enquanto isso, a pressão de madeireiros e fazendeiros se intensifica.

Serviço

Entrega do dossiê Manoki à relatora da ONU sobre direitos indígenas

Data: 16/03, às 9h00.

Local: Hotel Athos Bulcão – Setor Hoteleiro Norte, Quadra 5, Bloco D.

Brasília/ DF.

Contatos com a imprensa

Mel Mendes – mel@amazonianativa.org.br

Telefones: 65 9948-0821 e 65 3322-2980

Para mais informações, leia:

Um verdadeiro escândalo

Ataque à terra indígena

Desmatamento consome 20% da Terra Indígena Manoki

Madeireiros à solta

Com as próprias mãos

Omissão lesiva

Indígenas da bacia do Juruena participam de festival de cinema em Brasília

02 Dez, 2022

Foram selecionadas duas produções audiovisuais do Coletivo Ijã Mytyli de Cinema Manoki e Myky e uma do povo Enawenê-Nawê

Flores, lágrimas e força

28 Nov, 2022

Países insulares seguem sendo grandes propulsores de avanços no debate sobre clima no mundo. Povos indígenas exigem participação em fundo sobre perdas e danos.

A PNGATI e a esperança por dias melhores

09 Nov, 2022

De diversas regiões da Amazônia, representantes indígenas compartilham na COP27 reflexões e experiências sobre a PNGATI à luz do novo governo no Brasil.
Nossos Parceiros
Ver Mais