31 de agosto de 2016

O livro “Ocekadi” (termo da língua Munduruku que pode ser traduzido como “nosso rio” ou “o rio do nosso lugar”) avalia criticamente como o planejamento, licenciamento e implementação de hidrelétricas na bacia do Tapajós, atendendo a interesses políticos e econômicos restritos, têm violado sistematicamente os direitos dos povos indígenas e outras populações locais, a legislação […]

O livro “Ocekadi” (termo da língua Munduruku que pode ser traduzido como “nosso rio” ou “o rio do nosso lugar”) avalia criticamente como o planejamento, licenciamento e implementação de hidrelétricas na bacia do Tapajós, atendendo a interesses políticos e econômicos restritos, têm violado sistematicamente os direitos dos povos indígenas e outras populações locais, a legislação ambiental e o Estado Democrático de Direito, resultando numa escalada de conflitos socioambientais na região.

Sônia Guajajara assume ministério e anuncia política com protagonismo indígena

12 Jan, 2023

Em histórico discurso de posse, Sônia Guajajara destacou o início de uma política indígena e não mais indigenista. Também reforçou a importância dos povos originários no combate à crise climática e cravou que o futuro é ancestral.

OPAN manifesta apoio a ministérios e à Fundação Nacional dos Povos Indígenas, a nova Funai

03 Jan, 2023

Ministério dos Povos Indígenas, Funai e Secretaria Especial de Saúde Indígena serão dirigidos por importantes lideranças do movimento indígena.

Começou a mudança histórica

02 Jan, 2023

Sônia Guajajara, Joenia Wapichana, Wibe Tapeba, Célia Xakriabá, cacique Raoni Metuktire e outras lideranças são recebidos pelos servidores da Funai. Em ato marcante, falam dos desafios frente aos novos cargos no Legislativo e agora também no Executivo.
Nossos Parceiros
Ver Mais