24 de outubro de 2016

Com uma portaria surpresa, o Ministro da Saúde, Ricardo Barros, derruba a autonomia e a descentralização da saúde indígena. A Portaria 1.907, publicada no dia 18 de outubro de 2016, simplesmente inviabiliza qualquer atenção à saúde dos povos, pois todas as ações dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) estando centradas na Secretaria Especial de Saúde […]

Com uma portaria surpresa, o Ministro da Saúde, Ricardo Barros, derruba a autonomia e a descentralização da saúde indígena. A Portaria 1.907, publicada no dia 18 de outubro de 2016, simplesmente inviabiliza qualquer atenção à saúde dos povos, pois todas as ações dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) estando centradas na Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), em Brasília, significam um golpe à autonomia, duramente conquistada durante décadas.

Os problemas de gestão, de desvios de conduta, das interferências políticas e muitos outros certamente devem ser solucionados, mas não de forma autoritária e ao custo de muitas vidas.

O golpe contra a Fundação Nacional do Índio (Funai), tirando dela um orçamento que há muito já era insuficiente, além desta portaria do Ministério da Saúde, deixam nas populações indígenas a sensação de um governo que concretamente vira as costas para os povos originários deste país.

Operação Amazônia Nativa – OPAN, 24 de outubro de 2016.

Indígenas da bacia do Juruena participam de festival de cinema em Brasília

02 Dez, 2022

Foram selecionadas duas produções audiovisuais do Coletivo Ijã Mytyli de Cinema Manoki e Myky e uma do povo Enawenê-Nawê

Flores, lágrimas e força

28 Nov, 2022

Países insulares seguem sendo grandes propulsores de avanços no debate sobre clima no mundo. Povos indígenas exigem participação em fundo sobre perdas e danos.

A PNGATI e a esperança por dias melhores

09 Nov, 2022

De diversas regiões da Amazônia, representantes indígenas compartilham na COP27 reflexões e experiências sobre a PNGATI à luz do novo governo no Brasil.
Nossos Parceiros
Ver Mais