23 de janeiro de 2017

Conhecidos como povo da água, os Paumari são exímios pescadores e mergulhadores e habitam lagos, várzeas, praias e igarapés da bacia do rio Tapauá. Ali estão localizadas as TIs Paumari do Lago Manissuã, Paumari do Lago Paricá e Paumari do Cuniuá, demarcadas e homologadas entre 1997 e 1998. O manejo do pirarucu, após sete anos […]

Conhecidos como povo da água, os Paumari são exímios pescadores e mergulhadores e habitam lagos, várzeas, praias e igarapés da bacia do rio Tapauá. Ali estão localizadas as TIs Paumari do Lago Manissuã, Paumari do Lago Paricá e Paumari do Cuniuá, demarcadas e homologadas entre 1997 e 1998. O manejo do pirarucu, após sete anos de trabalho, recuperou o estoque pesqueiro e contribuiu para o fortalecimento de sua organização social. Hoje eles montam escalas de vigilância para os três territórios e realizam reuniões frequentes para discutir assuntos referentes à proteção e manutenção do território. As mulheres também estão mais confiantes e se integram aos trabalhos, principalmente ao apoio ao marido nas vigilâncias e na pesca manejada.

Indígenas da bacia do Juruena participam de festival de cinema em Brasília

02 Dez, 2022

Foram selecionadas duas produções audiovisuais do Coletivo Ijã Mytyli de Cinema Manoki e Myky e uma do povo Enawenê-Nawê

Flores, lágrimas e força

28 Nov, 2022

Países insulares seguem sendo grandes propulsores de avanços no debate sobre clima no mundo. Povos indígenas exigem participação em fundo sobre perdas e danos.

A PNGATI e a esperança por dias melhores

09 Nov, 2022

De diversas regiões da Amazônia, representantes indígenas compartilham na COP27 reflexões e experiências sobre a PNGATI à luz do novo governo no Brasil.
Nossos Parceiros
Ver Mais