26 de abril de 2018

Indígenas reunidos no Acampamento Terra Livre exigem revogação do parecer 001/AGU, do marco temporal, pela garantia do direito à terra.

Por: Dafne Spolti/OPAN.

Brasília (DF) – Hoje, os povos indígenas do país, reunidos em Brasília, no Acampamento Terra Livre, podem conseguir a revogação do parecer 001/2017, da Advocacia Geral da União, que considera a tese do marco temporal para a demarcação de terras indígenas. Lideranças seguirão para reunião com o Ministério da Justiça, contando com a participação da advogada geral da união, Grace Maria Mendonça, que se comprometeu em levar a pauta adiante, já que não pode decidir sozinha sobre o parecer.

Povos indígenas a caminho da AGU. Foto: Dafne Spolti/OPAN.

O encaminhamento foi conquistado após uma grande mobilização realizada entre a tarde e a noite de ontem. Tupinambá, Guarani, Kaingang, Apurinã, Kayapó, e muitos outros foram em marcha para a AGU, reivindicando a revogação do parecer, conhecido como “parecer do genocídio”.

Cantos e danças fortaleceram a manifestação durante todo o dia. Foto: Dafne Spolti/OPAN.

Alessandra Munduruku, explicou que é justamente isso que representa o parecer. A terra em que vive ainda não é demarcada e o processo está paralisado. “Sem a demarcação os empreendimentos, como hidrelétricas, mineração e ferrovias, vão ser todos aprovados”, disse ela, explicando que assim não terão a terra garantida e que haverá desmatamento, contaminação das águas, além de problemas sociais diversos que chegam com obras de infraestrutura.

Gibran Xokleng destacou que o parecer da AGU, aprovado pelo presidente Michel Temer, foi criado por uma demanda da bancada ruralista. “Ela dá a possibilidade de paralisar a demarcação e rever algumas já efetivadas por um motivo financeiro que a bancada ruralista vê como bons”, disse, lembrando que a discussão já vinha de governos anteriores, mas que agora foi possível pela força que o governo Temer dá aos ruralistas.

Em vigília, aguardando resultado da conversa com AGU com cantos e gritos de “demarcação já!”. Foto: Dafne Spolti/OPAN.

Contatos com a imprensa

Dafne Spolti

(65) 3322-2980 / 9 9 223-2494

dafne@amazonianativa.org.br

Indígenas da bacia do Juruena participam de festival de cinema em Brasília

02 Dez, 2022

Foram selecionadas duas produções audiovisuais do Coletivo Ijã Mytyli de Cinema Manoki e Myky e uma do povo Enawenê-Nawê

Flores, lágrimas e força

28 Nov, 2022

Países insulares seguem sendo grandes propulsores de avanços no debate sobre clima no mundo. Povos indígenas exigem participação em fundo sobre perdas e danos.

A PNGATI e a esperança por dias melhores

09 Nov, 2022

De diversas regiões da Amazônia, representantes indígenas compartilham na COP27 reflexões e experiências sobre a PNGATI à luz do novo governo no Brasil.
Nossos Parceiros
Ver Mais