23 de fevereiro de 2020

“Decidimos fazer nosso próprio Protocolo de Consulta diante das situações e experiências já vividas com outros projetos acelerados de desenvolvimento do governo e de empresas como, por exemplo, a construção da PCH Bocaiúva, no Rio Cravari, que afetou diretamente a organização do povo Irantxe-Manoki, e também a BR-364, que causou vários impactos negativos em nossa […]

“Decidimos fazer nosso próprio Protocolo de Consulta diante das situações e experiências já vividas com outros projetos acelerados de desenvolvimento do governo e de empresas como, por exemplo, a construção da PCH Bocaiúva, no Rio Cravari, que afetou diretamente a organização do povo Irantxe-Manoki, e também a BR-364, que causou vários impactos negativos em nossa terra.

Para que obras de infraestrutura e outras medidas dessas e de outras proporções não passem despercebidas infringindo o direito do povo Irantxe-Manoki à consulta, tivemos nossa visão da necessidade de construção do Protocolo de Consulta para que todos respeitem os nossos direitos”.

(Trecho do “Protocolo de consulta e consentimento livre, prévio e informado do povo Manoki”, página 18).

A WEB3 como palco para a arte indígena

29 Jun, 2022

Ampliação das plataformas de exibição e comércio de produções digitais fornecem espaço cada vez maior para atuação de artistas que antes dependiam de curadorias tradicionais para divulgar e comercializar seus trabalhos.

82% das infrações ambientais julgadas pela SEMA-MT levam mais de 5 anos para serem concluídas

29 Jun, 2022

Relatório revela que dos 1012 processos administrativos julgados pelo Consema-MT, entre 2017 e agosto de 2021, apenas 18% foram concluídos em até 5 anos.

Povo Haliti-Paresi realiza expedições para avaliar roteiros de etnoturismo

28 Jun, 2022

Projeto propõe imersão cultural de uma semana em aldeias com exuberantes paisagens.
Nossos Parceiros
Ver Mais