09 de agosto de 2021

Caminhos para o reconhecimento dos direitos indígenas e conservação da biodiversidade

O presente relatório é resultado do acompanhamento indigenista da Operação Amazônia Nativa (OPAN) com o povo Apiaká. Este trabalho foi intensificado a partir da decisão de um grupo de moradores da aldeia Mayrob (Terra Indígena Apiaká-Kayabi) de empreender um movimento de reocupação do seu território tradicional. Naquele momento, uma série de desafios foi imposta a esse grupo, pois, atualmente, o local é reconhecido administrativamente como uma unidade de conservação de proteção integral.
Assim, este documento tenta trazer uma breve caracterização da Terra Indígena Apiaká do Pontal e Isolados e do Parque Nacional do Juruena no que diz respeito à sua situação fundiária e à sua criação, respectivamente. Ele aponta a existência de outras situações de sobreposição encontradas no Brasil e evidencia a necessidade de compatibilizar os modos tradicionais de gestão territorial e as normas de preservação ambiental.

A WEB3 como palco para a arte indígena

29 Jun, 2022

Ampliação das plataformas de exibição e comércio de produções digitais fornecem espaço cada vez maior para atuação de artistas que antes dependiam de curadorias tradicionais para divulgar e comercializar seus trabalhos.

82% das infrações ambientais julgadas pela SEMA-MT levam mais de 5 anos para serem concluídas

29 Jun, 2022

Relatório revela que dos 1012 processos administrativos julgados pelo Consema-MT, entre 2017 e agosto de 2021, apenas 18% foram concluídos em até 5 anos.

Povo Haliti-Paresi realiza expedições para avaliar roteiros de etnoturismo

28 Jun, 2022

Projeto propõe imersão cultural de uma semana em aldeias com exuberantes paisagens.
Nossos Parceiros
Ver Mais