29 de setembro de 2021

Dissertação de mestrado de Rochele Fiorini apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, como requisito à obtenção do título de Mestre em Estudos Urbanos e Regionais.

A pesquisa desenvolvida teve como foco a primeira organização de mulheres indígenas, criada em 2009, no Estado de Mato Grosso, chamada Takiná, composta por mais de cem mulheres de 43 etnias e divididas em sete regionais. O tema da dissertação de mestrado é a organização e gestão adotadas pelas mulheres indígenas articuladas à questão de gênero na organização social indígena estudada. A investigação se dá sobre o processo de criação, sua história, problemas e gestão, trazendo problematizações e o apontamento de dificuldades que as mulheres indígenas enfrentam. Isso envolve a própria questão de gênero, as relações com o governo, a incidência em políticas públicas e as relações com atores do terceiro setor neste contexto. A metodologia utilizada tem uma abordagem etnográfica junto à associação, situada em Cuiabá, em Mato Grosso, através da observação participante durante as reuniões e encontros nos quais as mulheres estavam presentes, utilizando entrevistas semidirecionadas ou abertas com as
associadas, além de pesquisas documentais e bibliográficas. A reflexão teórica possibilita um debate que coloca questões sobre o movimento indígena e de gênero relativo às mulheres indígenas, assim como o debate sobre a gestão social e dos direitos indígenas. Com isso, identificam-se as principais motivações que as mulheres tiveram ao criar a organização indígena estadual, refletindo sobre as formas que lançam mão para o enfrentamento e luta por seus direitos em contexto político não favorável. A pesquisa, ainda, se dedica à compreensão das principais demandas e dificuldades de implementação de políticas públicas a serviços dos direitos coletivos indígenas.

COMO EVITAR A SAVANIZAÇÃO DA AMAZÔNIA

05 Set, 2022

Iniciativas de manejo sustentável de produtos da sociobiodiversidade são soluções que protegem a floresta, enquanto geram renda justa para comunidades indígenas.

Brô Mc’s: conheça o primeiro grupo de rap indígena a pisar no Rock in Rio

01 Set, 2022

Maior festival de música do mundo terá palco demarcado pela resistência indígena. Nos bastidores, grupo vai trazer mensagem especial sobre os isolados, indígenas que rejeitam contato com o restante da sociedade.

Vale do Javari: associação entre crimes ambientais e narcotráfico atualiza modus operandi do sistema seringalista

26 Ago, 2022

Apesar do histórico de massacres, exploração de recursos naturais e mão de obra escravizada, a região já vivenciou momentos de maior estabilidade quando o Estado se fez presente.
Nossos Parceiros
Ver Mais