17 de fevereiro de 2022

A publicação da International Rivers traz estudos exclusivos sobre a riqueza ambiental e da biodiversidade na bacia do Tapajós. A pesquisa inédita também destaca as principais ameaças ao território

A International Rivers lançou a publicação Tapajós Sob o Sol – Um mergulho nas características ecológicas, socioculturais e econômicas da bacia hidrográfica . Escrito por uma equipe de pesquisadores brasileiros, a publicação online e gratuita traz novos estudos sobre arqueologia, biologia e bioeconomia sustentável na região.

A publicação também destaca a perspectiva das comunidades tradicionais. Por centenas de anos, eles ocuparam e protegeram a Bacia do Tapajós: “Para nós, o rio Tapajós é sagrado. Ele foi criado por Karosakaybu (uma divindade honrada pelo povo Munduruku). Alguns Munduruku foram transformados em peixes, outros em pássaros, alguns em porcos. Sabemos como esse rio foi feito e tem conexão com nossa história e floresta”, detalhou o líder indígena Cacique Juarez Saw Munduruku, da aldeia Sawré Muybu. Sua entrevista pode ser encontrada no sumário executivo. 

A publicação revela o Tapajós como um território cheio de potencial e que precisa ser protegido a todo custo. Os artigos discutem temas como: a necessidade de estudos aprofundados na rica arqueologia da região e também como as tecnologias sociais das comunidades locais podem movimentar a bioeconomia e ao mesmo tempo proteger florestas e rios. 

“Com a publicação Tapajós Sob o Sol, queremos destacar uma das principais bacias amazônicas. Mesmo que sua importância seja inegável para a biodiversidade global, a bacia do Tapajós ainda é alvo de agronegócios, mineração ilegal e projetos de infraestrutura destrutivos, como barragens”, detalha Flávio Montiel, diretor do programa Amazônia em Rios Internacionais. 

Na publicação, artigos dos pesquisadores Bruna Cigaran, Ricard Scoles, Bruno Peregrina Puga e Ana Blaser. O prefácio conta com palavras de Ailton Krenak, do líder indígena Juarez Saw Munduruku e do líder ribeirinho Padre Edilberto Sena. O posfácio é escrito por Caetano Scanavinno, da organização brasileira Saúde e Alegria. 

Confira o estudo abaixo:

Entenda em seis pontos as diretrizes do CNJ para os povos indígenas no acesso ao Judiciário

06 Mai, 2022

O ato recomendatório traz procedimentos para garantir o pleno exercício dos direitos dos povos indígenas na Justiça. Saiba o que pode ser exigido em um processo judicial quando há pessoas e povos originários envolvidos.

Estela Ceregatti homenageia cacica xavante em novo álbum

28 Abr, 2022

Carolina Rewaptu é a primeira cacica Xavante de Mato Grosso e faz parte do grupo de mulheres que coletam sementes nativas para o reflorestamento de áreas desmatadas.

Garimpo ilegal vitimou mais de 100 indígenas Yanomami em 2021 

26 Abr, 2022

Exploração sexual, fome, contaminação e destruição ambiental são as principais causas de mortes. Este é considerado o pior momento de invasão desde a demarcação do território.
Nossos Parceiros
Ver Mais