Filme Xavante é premiado em Alter do Chão

Jovens Xavante no ritual Dapo’redzapu. Foto: Marcelo Okimoto/OPAN.

O filme “Waté’wa: os jovens Xavante que batem na água”, dirigido Caimi Waiassé Xavante e Leandro Parinai’a, recebeu esta semana o prêmio de melhor curta-metragem nacional no Festival de Cinema de Alter do Chão.

Realizado com apoio do projeto Irehi: cuidando de territórios, financiado pelo Fundo Amazônia, o documentário produzido em parceria pelo povo Xavante de Marãiwatsédé e pela OPAN, apresenta o ritual de passagem para a vida adulta dos jovens Xavante.

“Nós estamos muito felizes pelo prêmio que nós ganhamos”, disse o indígena Xavante Cosme Rité. Ele explica a relevância da realização do ritual e do registro da obra diante dos anos de luta para retomada da Terra Indígena Marãiwatsédé, a cada dia mais fortalecida pelos processos de gestão protagonizados pelo povo: “é muito importante esse avanço da nossa história. Estamos resistindo pra manter a nossa cultura, valorizar a nossa tradição. Toda a comunidade agradece”, disse ele.

O filme “Waté’wa” está agora disponível no canal da OPAN no YouTube e também pode ser assistido por esta página:

Veja abaixo a sinopse e a ficha técnica do documentário:

O povo Xavante de Marãiwatsédé vive em uma área que desde a década de 1960 foi invadida por projetos agropecuários. Em 1966 foram transferidos compulsoriamente de seu território e desde então, os Xavante travaram uma luta para retornar. Em 1995 iniciou-se a demarcação da terra indígena e em 1998 a Terra Indígena Marãiwatsédé foi homologada, mas permaneceu invadida. Até que em 2013, os invasores foram retirados e assim os Xavante conquistaram a posse definitiva de seu território. Em 2018 os Xavante de Marãiwatsédé realizaram o Wapté Nhõnhõ, terceiro ritual de passagem de adolescentes para adultos. Uma das etapas é o Dapo’redzapu, quando os meninos passam um mês dentro d’água realizando o Datsi’waté, a bateção de água que os purifica, fortalece e lhes dá resistência. Depois vem a furação de orelhas, que é feita com o osso da perna de uma onça parda, e a colocação do buruteihi, o brinco de madeira. Agora eles são aibö, novos adultos responsáveis por defender os direitos de seu povo e sua cultura.

Ficha técnica:

 

Direção

Caimi Waiassé Xavante

Leandro Parinai’a

 

Produção

Giovanny Vera – OPAN

Ponto de Cultura Apowê

 

Edição

Leandro Parinai’a

Pontal Sereuwazaowe Xavante

 

Filmagem

Rolf Tsirabri Xavante

Pontal Sereuwazaowe Xavante

Leandro Parinai’a

 

Fotografia

Marcelo Okimoto

Leandro Parinai’a

 

Captação de áudio

Pontal Sereuwazaowe Xavante

Leandro Parinai’a

Ianique Urãwe

 

Legenda

Clara Idioriê

Leandro Parinai’a

Pontal Sereuwazaowe Xavante

 

Trilha e efeitos sonoros

Uiwede nho’re – Grupo Abare’u Xavante

Uiwede nho’re – Grupo Nõdzö’u Xavante

 

Narração

Estevão Tsimitsuté Tsi’omowe

Lourenço Ubuhu

Leandro Parinai’a

 

Contatos com a imprensa

Operação Amazônia Nativa (OPAN)

(65) 3322-2980

comunicacao@amazonianativa.org.br

IREHI Filme Xavante é premiado em Alter do Chão

NOTÍCIAS