POVOS INDÍGENAS KATUKINA DO RIO BIÁ

KATUKINA DO RIO BIÁ

Os Katukina denominam-se Tuküna e representam uma das unidades sociais da sociedade maior dos Kanamari, habitantes tradicionais das bacias dos rios Juruá, Jutaí e Javari, afluentes da margem direita do rio Solimões (AM). A população atual soma aproximadamente 500 pessoas, distribuídas em 5 aldeias (Surucucu, Bacu-ri, Janela, Gato e Boca do Biá), localizadas ao longo do rio Jutaí, do rio Biá e do igarapé Ipixuna, no estado do Amazonas. Trata-se de uma região característica de floresta úmida.

Antes do contato desagregador pela empresa seringalista, os Katukina e Kanamari distribuíam-se pela região em unidades ou grupos chamados Dyapa. Sua língua foi classificada como da família Katukina. Cada Dyapa se distinguia pela denominação (de um animal ou planta) e pleno ideal de autonomia na produção e reprodução, mantendo-se basicamente endogâmicos. Em comum, compartilhavam a cultura, a língua e certas relações rituais. Interagiam também com outros povos circunvizinhos. Acredita-se que o primeiro contato com o mundo não-indígena data da época da borracha (finais do século XIX). Apesar de longo, o contato não tem sido muito intenso e os Katukina mantêm a sua língua e a sua cultura bem vivas, realizando rituais com grande freqüência.

Os Katukina vivem com abundância de caça, de pesca e de frutas silvestres. Além disso, fazem grandes roçados onde plantam macaxeira, mandioca, cará, milho, abacaxi e caju, entre outras coisas. Isto lhes dá grande autonomia a nível alimentar. Para a construção das suas casas, canoas, cestos, arcos e flechas, remos e maqueiras também recorrem principalmente a materiais do mato. No entanto, existem pressões predatórias de corte seletivo de madeira, da pesca (de pirarucu, de peixe-liso, de aruanã, de peixes ornamentais), caça comercial e de garimpagem (com a subseqüente poluição causada pelo mercúrio).

O território Katukina é de modo geral bem preservado. A Terra Indígena (TI) do Biá se encontra numa região protegida no Corredor Central da Amazônia e com 1.185.792 ha, constitui uma parte importante desse mosaico. Ao Norte, a TI faz limite com a Reserva Extrativista (RESEX) de Jutaí, a sudeste com a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Cujubim e a oeste com a RESEX do Médio Juruá.

Breve histórico da atuação da OPAN

A OPAN, que esteve diretamente envolvida no processo de demarcação da TI Biá, realizado em 1987, executou até 2011 várias atividades com o objetivo preservar a terra tradicional dos katukina. A implementação de novos programas de manejo florestal de baixo impacto (seringa, copaíba) contribuiu para minimizar a pressão das forças produtivas regionais sobre os recursos naturais da TI Biá. Este produtos aumentam a renda recebida pelo povo, melhorando a garantia de segurança alimentar e a sua autonomia.

Desde 1987 entre os Katukina, inicialmente a proposta da OPAN era dar assistência à saúde. Ao longo do tempo, as equipes foram ampliando o leque de linhas de atuação, incluindo uma campanha pela demarcação da terra indígena e posteriores ações de vigilância, atividades de alfabetização em língua indígena, oficinas de capacitação e projetos de alternativas econômicas.

A demarcação da terra indígena foi seguida por um programa de vigilância e fiscalização desenvolvido pela OPAN em conjunto com os Katukina e financiado pela FUNAI/PPTAL (Projeto Integrado de Proteção às Populações e Terras Indígenas da Amazônia Legal).

Em conjunto com a organização Amigos da Terra, a OPAN instalou uma rede de radiofonias com 19 equipamentos, ligando as aldeias dos povos Katukina, Kanamari e Kulina. Hoje em dia, o rádio é o principal meio de comunicação dos Katukina com os povos indígenas vizinhos e com os órgãos públicos atuantes na sua área.

A partir de 2004, com a parceria da Conservação Internacional / Brasil, o projeto “Conservação da Terra Indígena Biá” focou sua atuação em três eixos: proteção territorial, sustentabilidade e capacitação.

De 2009 a 2011, a OPAN trabalhou com os Katukina no âmbito do Projeto Aldeias, que se desenvolveu em 7 terras indígenas do estado do Amazonas, nas bacias dos rios Purus, Juruá e Jutaí através do consórcio OPAN-Visão Mundial com apoio da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID). Os dois objetivos principais do programa foram o apoio à conservação da biodiversidade e ao manejo de recursos naturais nas terras indígenas Katukina do Biá, Deni, Paumari do Rio Cuniuá, Paumari do Lago Paricá e Paumari do Lago Manissuã; além do fortalecimento das organizações indígenas locais e regionais. Houve também uma componente em parceria com a Coordenação de Índios Isolados e de Recente Contato (FUNAI/CGIIRC), de proteção etnoambiental dos povos indígenas Hi Merimã e Suruaha, no marco da Frente Purus de Proteção Etno-ambiental.

Como resultado deste trabalho, os Katukina da TI Rio Biá publicaram seu Plano de Gestão Territorial em setembro de 2011 em um grande evento na cidade de Jutaí, junto com o lançamento do Plano de Vida da Coordenação dos Povos Indígenas de Jutaí (COPIJU).

POVOS INDÍGENAS

RIKBAKTSA

Texto sobre o povo.

XAVANTE DE MARÃIWATSÉDÉ

2012 é um ano marcante para o povo Xavante da Terra Indígena Marãiwatsédé, no nordeste de Mato Grosso. Vinte anos depois de ouvirem a...

PARESI

Texto do povo Paresi.

NAMBIKWARA

Nambiquara (ou nambikwara) é um nome genérico para designar um conglomerado de 30 sub-grupos afiliados a um mesmo tronco linguístico, considerado isolado, e ocupantes...

ENAWENÊ NAWÊ

O povo Enawene Nawe vive às margens do rio Iquê, numa única aldeia que atualmente abriga uma população de quase 600 pessoas, todas falantes...

MYKY

Os Myky tradicionalmente  habitam as áreas de cabeceiras dos rios pertencentes às sub-bacias do Sangue, Membeca, Juruena e Papagaio, formadores do rio Tajapós, em...

MANOKI

As primeiras referências aos Manoki datam de 1910 e foram registradas por Marechal Rondon. Em meados da década de 40, os indígenas foram vítimas...

JAMAMADI

Atualmente o povo Jamamadi habita seis terras indígenas distribuídas na região do Médio Purus, no estado do Amazonas. Eles ocupam áreas de mata de...