O vídeo como ibirapema: a apropriação dos recursos audiovisuais pelos Manoki

Esta pesquisa propõe uma análise do processo de apropriação de ferramentas audiovisuais entre os Manoki, povo indígena de tronco isolado que vive ao noroeste de Mato Grosso, e suas correlações com os discursos nativos sobre a história. A partir de uma etnografia mediada pelo vídeo – utilizado pelos indígenas de forma proeminentemente prospectiva em estratégias de registro e autorrepresentação –, chega-se a diversos temas próprios da etnologia indígena, como relações intergeracionais, concepções sobre tempo, ritual e escatologia. Ao conjugar as abordagens antropológicas sobre audiovisual e povos ameríndios, a análise pretende levar em consideração a perspectiva nativa a propósito das transformações em seu mundo e o papel que o registro audiovisual pode ter para os Manoki.

Dissertação de mestrado de André Luis Lopes Neves

O-VIDEO-COMO-IBIRAPEMA

BIBLIOTECA O vídeo como ibirapema: a apropriação dos recursos audiovisuais pelos Manoki

NOTÍCIAS