03 de dezembro de 2021

Análise das pressões e ameaças sobre as terras indígenas onde há registro da presença de povos indígenas isolados e de recente contato no estado de Mato Grosso.

O relatório “Povos Isolados em Mato Grosso”, de autoria de Elias Bigio, ex-Coordenador Geral de Índios Isolados e Recém Contatados (CGIIRC), órgão vinculado à Fundação Nacional do Índio (Funai), faz um resgate sobre as ações iniciais que culminaram em políticas de proteção aos indígenas que vivem em situação de isolamento, por questões de sobrevivência.

A obra detalha sobre o sistema de classificação dos registros desses grupos, faz um levantamento dos povos em todo o território brasileiro e traça as principais ameaças e pressões sobre as terras desses indígenas – sob a forma de desmatamentos, queimadas, sobreposição de imóveis rurais, empreendimentos hidrelétricos e intensificação da exploração mineral.

“São inúmeras as situações em que esses empreendimentos causam impactos diretos e indiretos a territórios e povos indígenas isolados e de recente contato, muitas vezes irreversíveis. Essa situação pode ser atribuída à falta de ação da Funai, especialmente nos territórios em que esse órgão, apesar de ter informação sobre a existência de povos indígenas isolados desde a década de 1980, não realizou os trabalhos necessários para a demarcação das terras, submetendo esses povos a situações de extrema vulnerabilidade”, ressalta Bigio no estudo.

O relatório também apresenta uma descrição detalhada, atualizada em 2020, dos registros de indígenas isolados existentes no estado de Mato Grosso. Dessa forma, são demonstradas as interferências e pressões existentes sobre cada grupo e seu território.

Diante do exposto, o estudo conclui que o atual cenário evidencia um sério risco de os povos isolados serem dizimados. Para que isso não aconteça, algumas recomendações são destacadas. Dentre elas: ações efetivas dos órgãos de fiscalização do governo, como Ibama, Polícia Federal e a Funai; renovação das portarias de restrição de uso em todos os territórios onde vivem indígenas isolados, até que sejam finalizados os trabalhos de identificação e demarcação das terras.

Flores, lágrimas e força

28 Nov, 2022

Países insulares seguem sendo grandes propulsores de avanços no debate sobre clima no mundo. Povos indígenas exigem participação em fundo sobre perdas e danos.

A PNGATI e a esperança por dias melhores

09 Nov, 2022

De diversas regiões da Amazônia, representantes indígenas compartilham na COP27 reflexões e experiências sobre a PNGATI à luz do novo governo no Brasil.

Brasil dá seu recado no Egito

05 Nov, 2022

Delegação da Amazônia brasileira abre trabalhos na COP27 com contribuições técnicas na reunião da Plataforma Indígena da UNFCCC. Barreira do idioma ainda é desafio.
Nossos Parceiros
Ver Mais