Facebook - OPAN Google+ - OPAN Twitter - OPAN Youtube - OPAN

Notcias

SELECT m.*, IF(LENGTH(fotos)<15 AND galeria=1,(SELECT id FROM w186_post_fotos WHERE post=m.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1),fotos) AS fotoprinc FROM w186_post AS m WHERE m.id=477 - 477

O peixe que era gente

Por: Bahavi Hava Deni
Conhea a histria dos Deni sobre o ve'e, o pirarucu.

Professor Bahavi, da aldeia Boiador, durante a pesca de pirarucu deste ano.
Foto de Dafne Spolti/OPAN

Terra Indígena Deni, Itamarati (AM) – “Antigamente não tinha ve’e porque todo mundo era gente do povo Deni, Madiha Deni. O ve’e era uma pessoa. Ele foi para outra aldeia, casou e nunca mais voltou. Aí o pium picou ele e depois avisou em seu ouvido: ‘Ve’e, seus parentes morreram todos. Só ficou a sua irmã’. Meia noite o Ve’e saiu de lá para sua antiga aldeia. Chegou nove horas da manhã na casa da sua irmã e não tinha ninguém. Ele procurou: ‘- aonde está minha irmã?’. Aí ela estava na entrada do roçado. Ela e o mutum.

Aí o ve’e falou ‘ – irmã, vamos tirar mandioca, fazer goma para fazer bastante biju e o pessoal [que tinha morrido] voltar’. Aí eles fizeram e dividiram o biju por todo o cemitério. Aí o ve’e, que era um pajé, chamou tucurime [alma] e todo mundo levantou dizendo: ‘- êê, vamos comer biju’. Acabou o biju e todo mundo virou macaco coivara [menos o ve’e e sua irmã ucucu, que é o pássaro juriti]. Aí eles decidiram baixar o rio.

O mutum pulou da canoa. Ele estava pegando piabinha. O ve’e [que estava cansado do mutum] matou o mutum. Ele estava remando na proa da canoa e sua irmã, o juriti, estava na popa. O juriti voou. Quando o ve’e viu, não estava mais. Aí ele falou ‘ – vamos embora, irmã’. E ela respondeu: ‘ – Não. Você matou o mutum. Agora não vou’. Aí o ve’e pensou: ‘Vou virar um pirarucu’. Aí ele virou a canoa e se transformou no pirarucu. E falou: ‘ – irmã, vem aqui. Vamos fazer nossa pintura de urucum’. Por isso o pirarucu tem a malha vermelha. E o juriti também passou na perna e por isso tem a perna vermelha”.

Outros relatos, como o de Umada Kuniva Deni, da aldeia Boiador, dizem também que é por conta de sua irmã, o pássaro juriti, que o pirarucu faz a sua boiada, quando vai à superfície da água. É para poder observar da água sua irmã que está voando.

Contatos com a imprensa

Dafne Spolti

dafne@amazonianativa.org.br

(65) 3322-2980 / 9 9223-2494

Matrias relacionadas

17/09/2018
Um manejo colorido de urucum
06/10/2015
Um olho no peixe, outro no relgio
21/09/2015
Uma aposta promissora
15/09/2015
Movimentando a poltica
31/07/2015
Na direo do manejo
17/07/2015
Vaga aberta para contratao de indigenista
23/06/2015
Arapaima: redes produtivas
25/05/2015
Manejo Paumari vence prmio
22/04/2015
Manejo pesqueiro Paumari finalista
06/03/2015
Seleo de indigenista para AM
SELECT id, titulo, data, horario, fotos, post_sub_id AS post_sub_id, chamada, i_cadastro, arquivado FROM w186_post WHERE (i_publicacao<=NOW() OR i_publicacao=0) AND (i_expiracao>=NOW() OR i_expiracao=0) AND id!='477' AND post_sub_id=2 AND aprovado!=0 ORDER BY i_cadastro DESC LIMIT 0, 8
22/09/18 - Xavante ocupa espao na poltica local
Pela primeira vez na regio do vale do Araguaia, um indgena Xavante assumiu a presidncia de uma Cmara Municipal.
17/09/18 - Um manejo colorido de urucum
Relato da Indigenista Tarsila dos Reis Menezes sobre a pesca manejada do povo Deni
17/09/18 - Infogrficos: o manejo de pirarucu
Dados mostram benefcios e desafios da atividade no Amazonas
03/09/18 - Nota de pesar sobre o incndio no Museu Nacional
03/09/18 - ndio Presente: a srie
Confira a entrevista com o diretor Srgio Lobato
29/08/18 - Edital: professor de lngua inglesa
OPAN abre processo seletivo para profissionais interessados em ministrar 15 aulas de ingls
27/08/18 - Divulgao de um trabalho mpar
Manejo de pirarucu apresentado no congresso internacional Belm+30.
21/08/18 - A parte mais viva de Mato Grosso
Xavante, Myky e Manoki de Mato Grosso mostram como protegem a natureza e a biodiversidade no Belm + 30.
Todos os direitos reservados para a Operação Amazônia Nativa - OPAN
Website Security Test